A SAGA MEO CONTINUA, DESTA VEZ NUMA LOJA PERTO DE MIM

  • 27 June 2022
  • 0 respostas
  • 32 visualizações

Crachá

No seguimento do meu último post sob o título, SOBRE A "EXCELENTE ORIENTAÇÃO PARA O CLIENTE DA PARTE DA MEO, MELHOR NÃO HÁ, onde de forma irónica procurei expor a falta de consideração e de atenção para com o cliente por parte da MEO, dirige-me hoje a uma das suas lojas físicas na tentativa de resolver o mesmo problema relatado. Devo dizer que já tinha tentado, sem sucesso,  o contacto telefónico, este Fórum e até as mensagens incorporadas no mymeo.   Dirigi-me então à loja onde fui atendido por um funcionário cuja expressão nos faz sentir mal por estarmos a incomodar, e que quase nos leva a pormo-nos de joelhos para nos penitenciarmos pelo incómodo que causamos a uma figura de tamanha altivez real e sublime.  Penitenciando-me perante tal ser,  lá acabei por explicar a razão da minha visita à medida que o meu interlocutor, tal como um péssimo ator, procurava representar o seu papel de colaborador empático.  Terminada a minha explicação dentro da maior cordialidade e lisura que procuro manter,  foi prontamente informado, de forma pouco convincente, de que entendia o meu problema,  mas que infelizmente não disponha de ferramentas que lhe permitissem resolver com autonomia o problema. Como tal, teria de contactar os serviços centrais através de um chat virtual, mas que ainda assim tinha dúvidas se conseguiria resolver-me o problema.  Entendi naturalmente o problema, pois seria extremamente complexo para uma empresa tecnológica como a MEO  a resolução de um problema que pressupõe pouco mais do que a transferência de um conjunto de pontos meu para a oferta de um código virtual que permite o aluguer de um vídeo, isto é, um código que funcione, claro está.  Não obstante esta enorme complexidade, disse-lhe ainda assim que aguardaria por uma resposta,  e a verdade é que fiquei à espera durante 10 minutos enquanto que o colaborador da MEO aguardava em lista de espera para ser atendido pelos seus colegas na central.  É verdade que o colaborador terá sugerido ainda que eu desse uma volta pelo centro comercial enquanto ele aguardava por ser entendido, o que presumo que terá sido uma forma de dizer, por outras palavras, “se quer esperar, então é melhor esperar sentado”. Ora, como a paciência tem limites, acabei por fazer aquilo que talvez justifique o modo como os serviços de apoio ao cliente estão estruturados, ou seja, desisti pelo cansaço e sai da loja sem o problema resolvido.  Para mim foi mais uma prova do “bom” funcionamento do apoio ao cliente da MEO e de quão convenientes e eficazes são os vários meios alternativos de contacto que a operadora tanto publicita. 

Para quem já contactou a MEO pelos vários canais certamente que entende o que digo.   A questão que coloco é onde é que está a tal conveniência dos canais alternativos de contacto?  Se telefonarmos, em muitos casos somos colocados em espera após uma gravação irritante em que uma voz informa que devido ao número elevado de chamadas o tempo de espera ultrapassa determinado tempo, sugerindo assim o recurso aos tais restantes meios alternativos convenientes como forma de evitar o custo da chamada e de espera.  Se tentamos resolver o assunto através  da zona de clientes no MYMEO, corremos o risco de não obter resposta, ou quando obtemos já passaram mais de 48 horas.  Por último, se recorrermos às lojas físicas, limitamo-nos a encontrar por vezes no nosso interlocutor uma espécie de autómato humano, cuja função não é mais do que intermediar  o contacto através de um chat online,  constituindo assim mais um obstáculo já que poderia ser o cliente a contactar diretamente por chat o departamento responsável.


0 respostas

Sê o primeiro a responder!

Responder