Pergunta

Reclamações

  • 25 Janeiro 2019
  • 3 respostas
  • 257 visualizações

Tentei fazer uma reclamação através do site "portal da queixa" à qual obtive a seguinte resposta:
Boa tarde,
Registamos a sua insatisfação, no entanto para que possamos ajudar agradecemos que apresente as suas questões através dos contactos oficiais de suporte indicados em https://www.meo.pt/contactos.
Obrigado"
Após ter recebido a resposta, tentei então fazer a reclamação através do link indicado, mas foi-me pedido um login com as informações de cliente, as quais, provavelmente pelo facto deste serviço já não estar activo, não validam, o que impede que proceda à reclamação escrita, assim sendo, segue a reclamação:
Fiz um contrato para a aquisição de um pacote de Tv Net Voz com esta empresa em 2017, que implicava obras no prédio para ligar o mesmo à rede da PT, eventualmente mudei de casa, mas uma vez que a MEO era a única operadora com permissão para fazer a ligação à rede da PT (sendo a única forma de ter conexão qualquer serviço do género), a pedido do meu senhorio, não quebrei o contrato, para que este pudesse mudar o contrato de nome, e permanecer com o serviço. Na altura em que saí da casa ainda não tinha ligação à rede, não tendo usufruído do serviço. Em Janeiro de 2018 comecei ser contactada constantemente por parte da MEO a propósito de uma dívida de 792.12 Euros, o que estranhei uma vez que nunca tinha recebido facturas relativas ao serviço, sendo que o problema começa quando a operadora pretende que eu pague valores mensais dos quais não tenho conhecimento, uma vez que não estavam a ser debitados da minha conta, conforme eu tinha estabelecido no contrato, não estava a receber qualquer factura em qualquer formato (por uma questão de descargo de consciência, na altura em que tomei conhecimento, confirmei se, por lapso estariam a ser enviadas facturas em papel para a residência de instalação do serviço) e eu nem sequer estava presente na instalação do serviço em questão.
Num primeiro contacto com a MEO tentei saber em concreto ao que se referia a dívida, e numa primeira instância os 792.12 Euros eram na verdade 704.20 Euros justificados em facturas que me foram apresentadas apenas neste momento. Dos 704.20 Euros fizeram uma nota de crédito de 18.70 Euros relativa às mensalidades dos serviços, e na verdade o valor final era 685.50Euros dos quais 144.95 Euros eram relativos a facturas em atraso, mas depois chegaram à conclusão de este valor incluía um débito directo da altura em que o dinheiro ainda estava a ser retirado da minha conta, e abateram 32.99 Euros que já estavam pagos. Em cada factura o valor em dívida mudava de formas que nem a MEO conseguia explicar. Ou seja, a MEO começa por me cobrar uma dívida de facturas que nunca me enviou e não consegue dizer-me com certezas quanto dinheiro ao certo é que eu devia, e muito menos justificar esse valor. No entanto foi-me dito que teria que devolver os aparelhos, mas teria que pagar indemnização por quebra contratual, e recusaram a minha sugestão de mudar a morada de fornecimento para não entrar em incumprimento de contrato, alegando de que não faria qualquer diferença, meses mais tarde disseram que não devia nada se mudasse a morada de fornecimento e esta começasse um novo contrato (por outras palavras, lhes arranjasse outro contrato, o que eu tinha sugerido e alegaram ser impossível). Regressei à loja ( dia 23 de Janeiro de 2018) com os aparelho e desta vez foi-me dito que bastava entregar os mesmos e pagar os valores em atraso que não teria qualquer valor a pagar por incumprimento contratual. Devolvi os aparelhos e recebi uma folha em que consta "Cliente entrega equipamentos a fim de não pagar indemnização contratual", o equipamento foi visto, a folha foi-me entregue, paguei 111,96 Euros referentes às facturas em atraso e foi-me dito que a situação estava definitivamente resolvida.
Mais tarde contactaram-me novamente dizendo que devia 573.54 Euros por incumprimento contractual mais 150 Euros por falta de devolução de um dos materiais, alegando de que não estavam todos quando os entreguei, apesar do funcionário ter confirmado, originando em 723.54 Euros de dívida, quando me tinha sido dito que o problema estava resolvido. Portanto concluo que de meses a meses a MEO contacta-me com um valor diferente de dívida e de cada vez que resolvo a situação e me é dito pela operadora de que está tudo resolvido, aparece um novo valor, sendo que em Março de 2018 passaram a ser 848.90 Euros, que nunca me foram justificados nem nunca recebi uma factura sobre os mesmos, e recentemente o valor passou a 845,04 Euros. Para além disto tudo parecer vindo de um esquema de extorsão e burla, fui assediada com várias chamadas por dia, anónimas, que após atender passavam uma mensagem automática dizendo algo como "Temos uma informação de interesse para si, para descobrir prece 1", o que não me parece o procedimento mais correto de uma empresa como a MEO que está a tentar cobrar cada vez mais dinheiro, que a própria não consegue justificar de onde vêm, e onde tudo começou com valores de facturas que eu nunca recebi, da instalação de um serviço na qual eu não estive presente para assinar.
Termino com a seguinte citação retirada do site da ANACOM
"O operador tem 6 meses para lhe cobrar os serviços prestados ou recorrer aos tribunais (prazo de prescrição). Esta regra entrou em vigor em maio de 2008 e aplica-se a dívidas posteriores a esta data.
Se lhe foi cobrado um valor que já prescreveu de acordo com esta regra, pode recusar o pagamento invocando a prescrição do direito do operador a receber o preço correspondente. Para maior segurança, faça-o por escrito e guarde o comprovativo."

3 respostas

Reputação 7
Crachá +24
Por aqui não vale a pena reclamar. O fórum não serve para isso. Pode reclamar por escrito via área de cliente. Se essa opção não for viável, pode entregar reclamação pessoalmente numa loja oficial.
A área de cliente também não é grande opção porque as mensagens desaparecem, não fica registo. (deve interessar a alguém)
Envie carta registada e contacte a Deco por ex para a ajudar, isso tá aí uma salgueirada que sozinha não se safa penso.
Faça um copy-paste da mensagem que publicou aqui no Facebook e no Livro de Reclamações online., faça como sugere o Pbanshee envie carta registrada e contacte a Deco por telefone e por escrito.

Responder