Pergunta

Mensagens na área de cliente.

  • 11 Fevereiro 2019
  • 2 respostas
  • 88 visualizações

Boa noite. Precisava de uma informação:
Venho mantendo uma "acesa" conversa na área de cliente (mensagens) por não aceitar a facturação dos cartões adicionais que a MEO me está a cobrar. As respostas têm chegado mas são de uma "pobreza franciscana". De tal modo que isto vai acabar, para "começo de conversa", na ANACOM. E o mais que se verá. A minha questão é que apesar de receber a indicação, nas mensagens da área pessoal, das respostas da MEO (em regra para o mail) não vejo em lado algum o teor, isto é, o conteúdo, das minhas reclamações. Há alguma forma de aceder aos textos que eu entretanto escrevi na área pessoal, quando das minhas reclamações? Obrigado a quem me possa informar.

2 respostas

Reputação 1
Bom dia. Eu no seu caso contactaria a Provedoria do Cliente e reportaria o problema. Normalmente em 24/48 horas contactam.
Só depois avançaria para a Anacom ou para o Tribunal Arbitral do Consumo.

https://www.telecom.pt/pt-pt/contactos/Paginas/provedoria-cliente.aspx
Nuno Ribeiro, obrigado pela sua opinião e ajuda. De qualquer modo, da minha experiência com provedores de outras entidades tem-me ficado sempre a sensação de meras "figuras decorativas", sem grande interferência em termos de resolução....já tenho contacto com a Anacom a decorrer pois a MEO tem sido uma perfeita desilusão em termos de respeito pelo cliente. Tenho 2 anos e pouco de cliente e estou tão arrependido...
De qualquer modo, para a semana estou a pensar ir à loja onde fiz o contrato (Fórum Montijo) ver se consigo falar com quem me atendeu. Não fui já porque actualmente resido no distrito de Castelo Branco. Não fora isso...
Em relação ao conteúdo das minhas mensagens não se consegue aceder por nenhuma via? é que assim fico sem registo do teor das minhas reclamações via área pessoal. É mais um absurdo a juntar a tantos outros: a MEO promove o contacto via esse canal mas depois não se consegue vizualizar a argumentação apresentada pelo cliente...será assim?

Responder