Pergunta

Cobrança indevida

  • 16 Maio 2019
  • 13 respostas
  • 157 visualizações

Ha mais de 4 meses que não uso os serviços da MEO e nem resido em Portugal. Entretanto me estão cobrando €108,00 pela falta de pagamento das mensalidades (+-€10/mês)..
Na hora de assinar o contrato quis ler antes mas a atendente mostrou-se visivelmente incomodada, inclusive me disse que tinha outros clientes para atender.
Pergunto: O que você faria? Pessoas na fila... atendente nada simpática... você acabando de chegar no país precisando de um celular... Não li, óbvio! e assinei!
Agora o que fazer para não pagar esse valor que acho injusto pelo fato da empresa não proporcionar um ambiente adequado para o cliente usar seu direito de ler o contrato!!!

13 respostas

Reputação 7
Crachá +24
Lamento, mas esse argumento não é válido. Se assinou um contrato tem o dever de o cumprir. Se o leu ou não, o problema é seu. Pode soar duro mas é assim.
Publicação editada.
Ricardo27,

Obrigada pela resposta Ricardo, mas, lamento dizer-lhe que "os tempos mudaram" (há muito tempo!). Não podemos mais aceitar os grandes massacrando os pequenos! Hoje temos um rede de comunicação que nos "ajuda" de certa forma a ter voz.
Antes eramos "um nada" diante de uma organização. Hoje é diferente.
Vou brigar contra algo que é injusto.
Se não pensas assim, continues onde estás.
Reputação 7
Crachá +24
Bonito! O povo unido jamais será vencido!
Mas um contrato é um contrato. Tem valor jurídico. Dizer que não o leu antes de assinar porque se sentiu pressionada é simplesmente ridículo.
É ridículo para quem assim o é.
Tenha uma boa noite..
Reputação 7
Crachá +24
Muito agradecido, uma boa noite também para si. E boa sorte na sua luta. Se conseguir alguma coisa com essa argumentação, tenha a amabilidade de nos avisar aqui no fórum.
Bom dia

Ontem também tinha submetido uma resposta mas elimine-a uma vez que já tinha obtido ajuda.
No entanto, após ler qualquer coisa como contratos versus liberdade (?) coloco novamente a resposta, se bem que não traga nada de novo ao que já foi escrito.

"O desconhecimento da lei não aproveita a ninguém."

O desconhecimento das condições contratuais não justificam a falta do seu cumprimento nem a isentam das sanções nele estabelecidas.

É do interesse do cliente procurar a devida informação antes de subscrever serviços ou adquirir produtos.
Bom dia.

Eu entendo Mike. Tenho dois irmãos advogados. Mas o que eu sei também é que as leis baseiam-se na "lógica".
Daí, como eu "vivi na pele" o dilema da pressão dos dois lados (funcionária mostrando má vontade e clientes atrás de mim chateados) eu fui "obrigada" pelas circunstâncias a assinar.
Quero lutar para que seja mudado esse sistema opressor. Estamos na era da tecnologia! Certas coisas não devemos mais permitir, "engolindo-as". Sou honesta e isso tem um grande valor para mim. Se eu tivesse usado o serviço seria mais do que justo pagar por ele! Mas se eu devo pagar por algo só porque fui pressionada para não saber, não é justo! Eu sei que pode não dar em nada, mas pode também dar. Creio, e é bem provável, que a organização maior da empresa MEO nem saiba que essa "pressão" acontece. Tenho 60 anos e não sou muito familiarizada com essas tecnologias, mas sei que sou uma mulher de palavra e, repito, honesta. Essa minha luta tem outros propósitos também: a)quebrar o estereótipo criado de que todo brasileiro é desonesto e malandro;
b)que não vale a pena brigar com grandes empresas;
c)que grandes empresas são sempre insensíveis.

Espero que outros se juntem a mim, se não, vou sozinha mesmo.
Reputação 7
Crachá +24
Se é uma mulher honesta e de palavra, a meu ver, só tem uma coisa a fazer, é cumprir com o que assinou e pagar o que deve.
SE você é um homem honesto sabe que não é único no mundo.
Reputação 7
Crachá +24
Ok, não vamos divagar mais... tem todo o direito de lutar contra o que quiser e de perder todo o tempo que achar por bem... cada um sabe de si. Penso que tanto eu como o Mike já deixámos bem claro o que pensávamos deste o assunto.
Não concorda, está no seu direito.
Desejo-lhe as maiores felicidades e com isto dou como terminada a minha intervenção neste post.
Desconheço esse sistema opressor, o que vejo é algo bem diferente e é apelidado de sociedade de consumo, onde cidadãos mais predispostos ficam refens de marketing irresistível.

Nada disto serve de justificação, não assumiu uma posição contratual perante ameaça, deixou-se simplesmente seduzir.
Agora, como pessoa honesta que acredito que seja, cumpra ao que se propôs, se não o fizer, como consequência, é bem provável que futuramente não consiga subscrever um serviço de telecomunicações.
Teve sim uma pressão psicológica. E, repito, pode não dar em nada, mas eu terei usado o meu direito de defesa. Isso se chama valor moral, dignidade de quem está dizendo a verdade. Não tenho e nunca tive um perfil individuallsta (já deu para perceber, né?). Preocupo-me com outros com menos recursos que eu.
De qualquer modo, obrigada. É sempre de grande valia trocar opinião com pessoas educadas.

Responder