contencioso

  • 23 Agosto 2016
  • 10 respostas
  • 3190 visualizações

Dirigi-me hoje a uma loja MEO para adquirir equipamento.  Analisadas as opções, decidi comprar um smartphone a prestações.  Fui então informada de que não o poderia fazer, dado existir uma dívida em contencioso, dívida essa que em absoluto desconhecia.

Contactei o departamento de contencioso (19h50, 23/8 sr Pedro Geraldo), que me informou que a dívida remete a 2004, sendo referente a um telefone fixo.

11 anos volvidos não tenho obviamente qualquer comprovativo de pagamento, mas detenho o fax que enviei no dia 4/01/2005 à então PT Comunicações, confirmando o pedido telefónico de corte de serviço a partir do dia 7 de Janeiro 2004, indicando a morada para onde a factura/recibo deveria ser enviada e o meu nº de telemóvel para o que fosse necessário.

 

Saliento que sou cliente MEO - televisão, telefone fixo, e internet  (pagamento da factura por débito em conta desde fevereiro 2013) e telefone móvel desde janeiro 2011.  A morada fornecida em 2004 continua a ser uma morada válida, posto que é a de minha Mãe.

 

O Sr Pedro Geraldo informou-me amavelmente de que teriam enviado uma carta (simples) em Setembro 2005 para a morada de facturação do serviço (extinto em janeiro do mesmo ano).  Questionado sobre a razão da utilização daquela morada, e não a morada fornecida no dia 4/1/2004, respondeu-me "é a lei - só podemos enviar correspondência para a morada de facturação".  (??!!)  Mesmo admitindo que assim seja, porque é que o funcionário da PT a quem entreguei o equipamento (na altura os telefones eram da PT e tinham que ser devolvidos aquando da cessação do contrato) não me informou?

 

Obviamente não recebi a dita carta, nem nenhuma outra, em nenhuma morada, nem até hoje me foi colocado nenhum entrave na subscrição de qualquer serviço da empresa MEO.  Teriam tido oportunidade de bloquear a subscrição de qualquer serviço, ou, no mínimo, de me informar que existia uma suposta dívida.  Nunca o fizeram.  Têm a minha morada, e o nº de conta no banco, e não me parece legítimo que, 12 anos depois, seja confrontada em público (recordo que estava numa loja) com a situação. 1 carta (uma) enviada há 11 anos para a morada errada, não me parece demonstrativo de vontade de receber qualquer factura, nem de um mínimo de respeito por aqueles que deviam ser as pessoas mais importantes - os CLIENTES

23/8/2016

Cristina Carmo

 

Tópico fechado, já não permite mais respostas.

10 respostas

Reputação 7
Crachá +20
boas


 


é uma situação que está a ser recorrente...pois o sistema agora não deixa maneira de ser manipulado pelos utilizadores para poderem fazer novos contratos ou equipamentos a prestações...


 


existem 2 coisas a realçar...1º sabias que tinhas uma divida, apesar de não teres recebido a carta sabias que tinhas de pagar o que faltava e nunca te preocupas-te com isso...2ª só pagas se quiseres...passado 6 meses da factura emitida não te podem obrigar a pagar seja o que for...mas tambem não são obrigados a fazer novos contratos...
Peço desculpa, mas não paguei porque NUNCA me apresentaram a factura, até hoje. O primeiro (e único) envio de factura foi, supostamente, em Setembro de 2005, quando o contrato foi cancelado em Janeiro. Fui para o estrangeiro trabalhar, deixei os assuntos resolvidos.  Não mandaram a factura atempadamente, porque...? Não a mandaram para a direcção correcta porque...? Há 6 anos quando fizeram o novo contrato não me falaram nisso porque...? E nas fidelizações seguintes? Onde já se viu um assunto ir para contencioso antes de se TENTAR o pagamento?
Reputação 7
Crachá +20
Boas

Mesmo sem receber a factura sabias que tinhas de pagar... Mesmo sem saber o valor em concreto sabias que tinhas dívida... Se não recebes a factura e sabes que tens de pagar ias a uma loja verificar...

A uns meses para cá que o sistema foi actualizado e o cruzamento de dados feito... Foram detectadas dívidas antigas que para todos os efeitos são incobráveis... Mas não obriga a Meo daí para a frente aceitar novos contratos com esses devedores...

Agora pergunto... Porque não pagas a dívida e resolves o problema de uma vez?? Em vez de procurar culpados pela dívida que tens, pagavas e resolves o problema... A dívida é mesmo tua...
Eu não disse que não paguei a factura: disse que não tenho comprovativos. E não vou pagar, porque estranho é que tenham enviado a factura em Setembro, quando o contrato foi finalizado em Janeiro... Se a enviaram 8 meses depois, como me foi dito, temos pena... têm 6 meses para a enviar...
Reputação 7
Crachá +20
boas


 


fiquei a perceber que não tinhas pago porque não tinhas recebido a factura...
Venho por este meio responder a esta resposta perdoem-me a redudancia, fazendo referencia ao meu caso em que rescebi a 2 semanas uma carta da Imtrium Justicia na qual me pedia o pagamento de uma diida datada de Fevereiro de 2011, a qual como V. Exas certamente nao desconhecem, esta prescrita, estipulada na LEI N.º 23/96 DE 26 DE JULHO Cria no ordenamento jurídico alguns mecanismos destinados a proteger o utente de serviços públicos essenciais, no Artigo 10.º Prescrição e caducidade 1 - O direito de exigir o pagamento do preço do serviço prestado prescreve no prazo de seis meses após a sua prestação. O prazo de propositura de ação pelo prestador é de seis meses, contados após o fornecimento do serviço ou do pagamento inicial, consoante os casos. Lei foi Aprovada em 23 de Maio de 1996. O Presidente da Assembleia da República, António de Almeida Santos. Promulgada em 4 de Julho de 1996.

Se não obtiver resposta à reclamação num prazo razoável (15 dias úteis) ou se a resposta dada não lhe for favorável, poderá reenviar todo o processo para:

Autoridade Nacional de Comunicações – ICP – ANACOM – no caso das comunicações (www.anacom.pt);

Agradecia um contacto urgente para a resolução do meu caso 
Reputação 7
Crachá +20
boas


 


a divida só é prescrita se tu o pedires a prescrição da mesma...


 


é só procurar uma minuta que há na net as paletes, preencher e enviar para a Meo, a partir desse momento fica legalmente prescrita.

Bom dia , hoje fui contactado por o proprietário de uma casa que aluguei há já 8 anos e ele na tentativa de fazer um contrato convosco foi informado que não era possível por nessa morada estar uma divida, não no nome dele, mas sim no meu. Gostaria de saber que divida e essas, uma vez que não tenho qualquer conhecimento, e se existir como podemos fazer para que fique desbloqueado o acesso ao dono da casa fazer o contrato que deseja. Aguardo uma rápida resposta afim de resolver,  o que possa haver para resolver, o mais rapido possivel.

Obrigado

 

 

Reputação 7
Crachá +24

@tiago saramago 

Não pode tratar pelo forum. Tem que contactar o apoio ao cliente.

Já tentei mas estive quase uma hora a espera que me atendem se e não me atenderam. Deixei o numero e estou a espera.

mas obrigado pela rápida resposta.