Pergunta

RECLAMAÇÃO

  • 26 Outubro 2019
  • 2 respostas
  • 70 visualizações

Exmos Senhores(as)
Em finais de Junho de 2019, após uma breve consulta ao mercado de Comunicações e depois de sucessivas interpelações do Marketing da MEO, optei por aderir aos vossos serviços, em detrimento da operadora que até então me prestava serviços.
Julgando estar a optar por uma Empresa que me pudesse prestar um serviço de qualidade, ativei o contrato de prestação de serviços de Comunicações em finais deste mesmo mês.
Em meados de Julho comecei a ter problemas com a imagem da TV que era recebida na minha habitação ao abrigo do contrato de prestação de serviços então celebrado. A imagem por alguns períodos era recebida com interferências, aparecendo a mesma com pequenos quadrados e com paragens sucessivas, sem som, tipo fantasmas no pequeno ecrã. 
Desde esta data, comecei a pedir apoio aos serviços técnicos da MEO, quer através do portal MY MEO, quer através de contactos telefónicos para a linha de apoio técnico 16 209 que encareceram em demasia os custos com o péssimo serviço que me estava a ser prestado.
Como poderão verificar no histórico do cliente, na  página de apoio ao cliente (MY MEO) e nas gravações então efetuadas as solicitações de apoio técnico através da linha de apoio o problema apresentado pelo cliente sempre foi o mesmo “ FALTA DE QUALIDADE DE IMAGEM, SUCESSIVAS PARAGENS E FANTASMAS”
Houve varias tentativas de solucionar o problema remotamente, e com deslocações de técnicos a morada do cliente, sem que o objetivo tenha sido conseguido. Em todas as solicitações de intervenção técnica, as mesmas eram dadas por concluídas, sem que o problema tivesse sido resolvido, mantendo-se a deficiente visualização.
Nos contactos telefónicos com a linha de apoio 16 209, e com o apoio ao cliente, perante a incapacidade da MEO em solucionar o problema, foi colocada a hipótese  da resolução do contrato com justa causa pela má qualidade de imagem, o que não chegou a acontecer pela intervenção do operador que habilmente descansou o cliente, garantindo-lhe que o problema seria rapidamente resolvido sem custos associados para o cliente.
Estes episódios prolongaram-se no tempo, conforme poderão verificar nos anexos que conjuntamente com esta reclamação remeto, e a imagem só estabilizou em inicio de Outubro de 2019.
Recebi presencialmente na morada do contrato dois técnicos  da MEO em dias diferentes, que testaram a rede interna  existente,   sem que tivessem detetado qualquer problema com a mesma, e que após varias medições ao sinal, ambos consideram-se incapazes para solucionar o problema, já que desconfiavam que o mesmo poderia ter origem no sinal proveniente da caixa exterior, caixa esta que era partilhada com um concorrente vosso nas comunicações, que no caso era a VODAFONE, e garantindo que iriam reportar a MEO, o que acreditavam poder originar o problema e solicitando ao cliente que insistisse nos pedidos de apoio técnico.
O cliente assim o fez. Continuou a reclamar por uma visualização de imagem sem problemas, o que lhe havia sido prometida, aquando da celebração do contrato de prestação de serviços de comunicações com a MEO. 
O cliente gravou em vídeo a péssima qualidade de imagem que recebia por alguns períodos para poder exibir aos técnicos, quando lá se deslocassem novamente,  no intuito dos poder ajudar a desvendar o mistério, já que nas anteriores deslocações não foi possível a verificação desta anomalia, já que os mesmos não podiam esperar por um período em que tal acontecesse, o que é bem compreendido pelo cliente.
Em 03 de Setembro, no seguimento de mais um pedido de apoio técnico, o cliente recebeu uma mensagem no seu telefone proveniente dos serviços técnicos onde constava “ ESTAMOS A CAMINHO DA SUA MORADA PARA SOLUCIONAR A AVARIA. CASO NECESSITEMOS DA SUA PRESENÇA ENTRAREMOS EM CONTACTO “
Em 05-09-2019, mantendo-se inalterada a anomalia existente, o cliente apelou novamente através do apoio ao cliente no MY MEO, para que resolvessem de vez o prolema que persistia, já que a presumível deslocação do técnico em 03-09-2019 não tinha surtido qualquer efeito, mantendo-se a imagem com deficiência, e cujo pedido já se encontrava concluído/fechado.
O cliente não obteve qualquer informação adicional ao seu ultimo pedido, contudo a imagem começou a ficar com a qualidade desejada no início de Outubro de 2010, o que leva a acreditar ter existido intervenção no exterior, já que na morada do contrato, nada foi alterado na rede interna do cliente. 
Em 05-10-2010, quando o cliente rececionou a fatura referente ao mês de Setembro, verificou a existência de um debito de 40.00€ numa rubrica ADESÃO. Contactou o apoio ao cliente através do 16 200, manifestando a sua indignação pelo débito de um serviço, que lhe havia sido garantido que iria ficar operacional sem custos para o cliente.
Foi aberta uma reclamação interna, onde o cliente solicitava a reposição da verba de 40.00€ debitada indevidamente, já que para alem de lhe ter sido garantido a isenção de qualquer verba adicional na reposição da imagem com qualidade, o cliente não se considera responsável pela má qualidade na receção da imagem que é partilhada com a concorrência.
Em 25-10-2019, o cliente foi contactado pela MEO via telefone, onde foi informado que o seu pedido de reposição da verba debitada indevidamente não tinha sido aceite, porque a mesma era referente a uma intervenção técnica ocorrida em 03-09-2019, onde constava na ficha do técnico que não tendo verificado qualquer avaria no exterior, a causa da anomalia era imputada ao cliente. Pedi que me enviassem a decisão por email, cuja copia também remeto em anexo.
Questiona-se a idoneidade deste técnico, que sem ter sido recebido presencialmente na morada do contrato, (possivelmente nem lá se deslocou) e sem ter feito qualquer teste na casa do cliente, alega na sua folha de obra  que a anomalia  é da responsabilidade do cliente, e  cujo parecer pôe em causa o brio dos dois profissionais, técnicos da MEO, que anteriormente se tinham deslocado e  foram recebidos presencialmente pelo cliente na sua morada, e onde os mesmos não verificaram qualquer anomalia na rede interna do cliente após os testes que realizaram, limitando-se a informar que não conseguiriam resolver o problema, por tratar-se de um problema exterior, que iriam reportam a quem de direito.
Pelo acima exposto, solicita-se uma analise de todo este extenso processo que se iniciou em meados de Julho e se prolongou até inícios de Outubro de 2019, e onde o cliente sem ter qualquer responsabilidade pelos factos, foi indevidamente penalizado com um debito de 40.00€, porque um técnico achou por bem imputar ao cliente o que é da responsabilidade da MEO , ou seja a receção com qualidade aceitável da imagem.
O cliente sente-se lesado quer financeiramente, quer moralmente, receando continuar a ser cliente MEO, temendo que qualquer problema que possa surgir futuramente com a prestação de serviços de comunicações, lhe possa ser assacada indevidamente, se um pseudo técnico sem escrúpulos assim o entender, e sem que os responsáveis da Prestadora de serviços de Comunicações que foram chamados ao litigio se designem analisar convenientemente um processo, bem documentado e em que tudo indica que a responsabilidade pela ocorrência nunca deverá ser imputada ao cliente, que em nada contribui para a receção da má imagem.
O cliente sente-se injustiçado pelo facto de ter sido privado da qualidade de imagem que lhe prometeram aquando da celebração do contrato, durante os meses de Julho, Agosto e Setembro e ainda ter sido sancionado com um debito de 40.00€ por uma intervenção que nunca existiu, e se existisse seria sempre da responsabilidade da Prestadora de Serviços, entidade a quem compete prestar o serviço nas melhores condições.
Pede-se assim, a reposição da veracidade dos factos, creditando o cliente do debito efetuado indevidamente, e compensando o cliente pelos meses em  que pagou um serviço que prometia ser de qualidade, e do qual esteve até inicio de Outubro privado do mesmo.
 


2 respostas

Reputação 7
Crachá +24

Não pode tratar de reclamações no fórum. Aqui 99% são meros clientes. 

Foi so dar conhecimento ao forum de todo o acontecimento. A reclamação ja foi feita aos organismos competentes. Quem sabe com um pouco de sorte a mesma possa tombem ser lida pelos incompetentes que decidiram castigar o cliente pela burrice deles. 

Responder