Faturas Pagas / Contencioso

  • 29 Janeiro 2015
  • 24 respostas
  • 2346 visualizações

Venho aqui relatar uma situação INACREDITÁVEL.


O meu Filho tinha uma linha Meo na Covilhã por ter saido e mudado de emprego pediu a migração do serviço para residencia dos Pais. Contatado o Serviço de Apoio ao Cliente, foi agendada uma data pela Operadora, (final Outubro 2013). Nunca apareceram da parte do Meo. No inicio do ano 2014, aparece em casa uma carta da INTRUM (Contencioso) que meu Filho teria de pagar 700 e alguns Euros.


Contatei o Serviço ao cliente e fui informado que dado ter 1 (uma) fatura em atraso não podia fazer a migração (porque na altura a Funcionária não alertou dessa situação ?). Questionei a Funcionária como poderia resolver a situação.


Após alguns minutos, informou que se pagasse as faturas, desde a que estava em atraso o assunto ficaria resolvido e encerrado o caso e feita a migração do serviço.


A Funcionária deu-me as referencias Multibanco e foi feito o pagamento de 187,50 € .


Informei a INTRUM Sr. João Abrantes de toda a situação, com troca de emails, de que já tinha pago a referida divida e não podia aceitar aquela carta de contencioso. Fui informado que ele iria transmitir á PT toda a situação e que as Ações seriam suspensas até obtenção de novos esclarecimentos e mandou aguardar.


Pensando que toda a situação estaria resolvida, qual é o meu espanto, esta semana o meu Filho foi informado pela Empresa onde trabalha que tinha 1/3 do ordenado penhorado por esta divida á PT que é neste momento 1.703€, (qual divida se liquidei todas as faturas que me indicaram) ?.


 


Acho isto inacreditável, o meu filho trabalha e fica sem ordenado para comer e pagar as suas contas, por uma situação que em meu entender é falta de comunicação entre departamentos em que tinham recebido as verbas e a Acão deveria ser suspensa.


 


Peço a alguem da Administração que intervenha nesta situação, pois criou um caso dramático de subsistência de um Jovem com 27 anos.


 


Reservo-me o direito de nas instâncias próprias reclamar os direitos do meu Filho.


 


E ainda por cima o Solicitador de Execução foi preso ontem ao final do dia. (será esta mais uma burla?)


 


E quando terminar os contratos que tenho neste momento com a MEO e são dois, nunca MAIS !!!.


Deixo aqui o meu email, para caso alguém Responsável pela MEO me queira contatar com a brevidade possivel:


 


joao205cardoso@sapo.pt


 


João Santos


 


 

24 respostas

Boa noite joao205, de modo a podermos analisar a situação que refere, envie-nos uma mensagem privada com o nº de cliente/NIF associado ao serviço em questão e um contacto telefónico. Identifique o título da mensagem com a refª 3-66185453281.
Obrigado pela sua atenção e aguardo anciosamente o seu contato esta manhã. para poder proceder em conformidade.


 


Obrigado


 


João Santos
@@@joao205 Estamos a verificar o exposto, será contactado logo que possível com os devidos esclarecimentos sobre esta situação
Tanta esperança neste dia para nada. Começo a ficar desesperado e em stress com esta situação.


 


João
Fui contatado pelas 11H10 pelo Sr. Carlos Teixeira da Meo, assumindo que houve efetivamente um erro e serei contatado pelo Serviço Contecioso da MEO/PT.


 


Fico a aguardar esse contato e espero que tudo seja reposto (valores) e um pedido de desculpas.


 


João
@@@joao205 , agradecemos a sua confirmação.


Ficamos ao dispor para qualquer questão adicional.
Continuo a aguardar contato do Contencioso/MEO.


 


Uma situação lamentável que poderia ser resolvida rápidamentente. Assim tivessem vontade de o fazer.


 


Será amanhã ??????????


 


João
Passados 8 dias e apesar do contato por parte do MEO dizendo que ia ser contatado pelo Contencioso, continuo sem obter qualquer resposta.


 


Se fosse algum Funcionário da MEO ou familiar a situação já estaria resolvida.


 


Começo a pensar em tomar outra atitude pois parece não restar outro caminho talvez Televisão ou Tribunal.


 


Apenas aguardo o dia de hoje como limite.


 


João
Simplesmente DEPLORÁVEL comportamento do Contencioso.


 


Para quê darem prazos se não cumprem. Passados 12 dias do primeiro contato e disseram que no praso de 10 dias seria contatado. NADA.


 


Quem ler este POST vejam que pode acontecer no MEO mesmo pagando! Ordenado penhorado e não se passa nada.


 


Será que é preciso uma greve de FOME á porta da Administração da MEO/PT, ou outra atitude mais radical?


 


Meus Senhores tenham vergonha a paciência tem limites.


 


João
13 dias sem resposta.


 


João
Boa Tarde @@@joao205 lamentamos a demora pelo que solicitamos que aguarde um contacto correspondente á situação o mais breve possivel. Obrigad
boa tarde sou gostava de reclamar ja que me tão a cobra um servico que não é primitido uzar .como não tou em portugal pedi a minha esposa para tartar já foi a loja todos as vezes que vai cada um diz uma coisa o que é certo tou a pagar a net que podia uzar no telemovel e não a posso uzar mas pago na mesma a factura ja que ove outras questoes que gostava de ter cido esclarecido e não foi 

 se continuar assim vou ver que tanho que resgendir porque pago coisas que não me deixam uzar e ainda para reclamar tanho que pagar a chamada e ficar muito tempo a espera e no final do mes vem dibitada 
E vão 17 dias sem o Contato do Contencioso do MEO/PT.


 


Vou experimentar não pagar as minhas faturas para ver a demora do Contencioso ?


 


João
Quase um mês passado e sem solução á vista. Muitos contatos com o contencioso e sempre a mesma resposta estamos a tentar resolver o problema. Tem toda a razão e tal .... não passamos disto.


 


O meu contrato MEO está a terminar (final de Abril) já tem fim á vista e mais dois telemóveis vão a seguir.


 


Vergonha MEO/PT.


 


Ao menos podiam ir ligando e fazer o ponto da situação, mas nada!


 


João
Bom Dia @@@joao205 Estivemos a verificar o ponto da situação que nos remeteu e verificamos que já lhe foi enviada uma carta em resposta á sua questão. Para mais esclarecimentos estamos ao dispor. Obrigado
Obrigado pela resposta Sr Luis


 


Mas venho infelizmente relatar mais uma situação inacreditável nesta novela que desgraçadamente continua por resolver.


A carta que o Sr. Luis diz que me enviaram, foi enviada para a morada onde o meu filho já não reside desde Setembro de 2013.


O serviço que tinha na morada anterior foi migrado e instalado na nova morada em Abril de 2014 e mesmo assim a MEO/PT enviou uma carta para a morada antiga. Enfim a cereja to cimo do bolo como funciona esta Empresa.


Enviaram uma Carta para Covilhã, mas não tiveram uma carta ao Tribunal da Covilhã  a pedir a suspensão da Penhora do Ordenado do meu Filho que gravemente continua  a ver ser-lhe cativada uma parte do seu salário por imcompetência da MEP/PT.


 


João
@@@joao205 , Lamentamos o sucedido. Iremos analisar a situação que nos remeteu internamente, logo que tenhamos mais informações entraremos em contcato Obrigado
Gostaria de louvar a Advogada Mandatária da MEO/PT que após ter conseguido entrar em contato com Ela Dra. Liliana Gomes desbloqueou para já a situação.


Mas tomem nota nisto todos os participantes neste Forum:


Durante todos estes dias e apesar das minhas reclamações junto do Contencioso quase diárias ninguem teve a sensatez de ligar a esta Advogada pedindo para Ela junto do Tribunal desistir da queixa.


Coisa que esta Advogada fez após toda minha explicação em apenas uma hora.


Obrigado para já Dra Liliana Gomes.


Agora falta devolverem o dinheiro que já cativaram ao meu Filho.


João
SENHOR Luis_MEO


 


Conforme sua resposta de dia 26/02/2015 continuo a aguardar a carta/resposta da PT/MEO á situação que aqui está relatada.


 


É assim que funciona esta Empresa vejam á quantos dias aguardo uma carta que deveria ter vindo para onde se encontra o Serviço e foi enviada para a Covilhã de onde migrou o serviço á mais de 1 ano.


 


João
joao205, lamentamos a referida demora. Assim que tenhamos novidades, dar-lhe-emos novo feedback. 
Caros Amigos que desgrassadamente tem de recorrer a este Forum.


 


Volto aqui porque depois de ligar mais de 20 vezes para o Contencioso e me prometerem ser breves na resolução continuo a aguardar pela carta em que deveriam assumir o erro e a divida que têm com meu filho e nada. Sempre os 10 dias da praxe mas nada, o ultimo com quem falei do Contencioso foi o Sr João Veiga, no dia 20 Abril pelas 16H00.


 


Vergonha, tiveram pressa a PENHORAR o ordenado do meu filho, mas agora não tem pressa em devolver o que não lhes pertence.


 


Reparem á quanto tempo ando nisto.


 


Incompetentes e **bleep** todos inclusivé os senhores que vêm aqui responder. Digo isto porque nunca resolveram nada do que prometeram aqui neste Forum.


 


João
Agora já não aparece ninguem a dizer ? á e tal lamentamos e logo que tenhamos informação comunicaremos.


 


Vergonha mesmo, colocamos aqui as nossas reclamações e num Forum Oficial vão passados meses e nada se resolveu.


 


Devolvam 275,70 € que cativaram ao ordenado do meu Filho.


 


João
 @@joao205 Boa tarde, Lamentamos a demora nesta situação no entanto deverá receber nos próximos dias a carta em resposta a esta questão. Informamos também que foi efetuado uma insistência junto ao agente de cobranças para que lhe seja restituído o valor em causa. No entanto segue carta com todos os detalhes e procedimentos. Obrigado
Muito obrigado pela resposta.


 


Espero bem que não voltem a mandar a dita carta para onde o serviço já não se encontra á mais de 1 ano, que foi para onde foi enviada a anterior. Vejam bem a atual morada do Serviço.


 


Vou aguardar para ver o que a carta diz, mas parece que á qualquer coisa que não bate certo, então a MEO/PT é Mandatária, manda penhorar o Ordenado e agora manda o Solicitador de Execução devolver?


 


A MEO/PT cometeu o erro agora que assuma e devolva o dinheiro e depois faça contas com o Solicitador de Execução.


 


A entidade que despoletou erradamente toda a situação é quem tem de resolver todo o problema e desconforto criado.


 


Tentaram por uma divida de 187,50 € cobrar 1.703,98 € com juros e agora espero que devolvam acrescido de Juros da mesma forma como descontaram desde 31 de Janeiro de 2015.


 


João

Responder