Pergunta

Criar pedidos na Área de Cliente

  • 24 Agosto 2019
  • 9 respostas
  • 225 visualizações

Crachá
Boa tarde,

Registei-me no fórum na esperança de que alguém me saiba explicar algo que não consigo entender ácerca da criação de pedidos na Área de Cliente. É que, sempre que eu tento criar um novo pedido, não fica lá registado o texto que eu envio, mas antes é insistentemente replicado o texto do meu anterior pedido que ainda se encontra "em curso" (não solucionado, portanto). Porque é que esta situação ocorre, e como posso afinal registar um novo pedido, tendo um pendente? Ou não é possível? (Isto seria, à partida, ridículo, presumo, mas sei lá?)

A situação é que tive de reclamar a factura do mês anterior, por taxação indevida, e dado a situação se ter repetido na factura do presente mês, queria registar nova reclamação, para esta nova factura, e o facto é que não consigo, e não consigo perceber porquê? (E não, tal não se deve a cookies ou falta de limpeza destes, porque de cada vez que isto sucede, limpo os cookies só para confirmar que não é disso, e não, ainda assim não dá...)

Obrigado se alguém me puder esclarecer sobre isto, obrigado (e peço desculpa se a pergunta, no fim, fôr estúpida).

9 respostas

Reputação 7
Crachá +24
Essa é nova. Não lhe sei dizer o porquê disso acontecer. Já limpou a cache? Já fez logout/login?
Pode escrever a sua reclamação p. ex. em word e depois anexa o ficheiro.
Já tive vários pedidos abertos, não será por aí.
Crachá
Obrigado, Ricardo27, pela resposta.

Pois, deduzo que isto soe, no mínimo, a estranho, e realmente também eu não percebo o porquê deste "comportamento" daquela secção da Área de Cliente.

Sim, sempre que isto acontece (e já não é a primeira nem a segunda vez... :-/) limpo sempre a cache, faço logout/login, fecho o browser e reabro, enfim, trinta por uma linha, e o facto é que a situação insiste em repetir-se, não entendo...

Tentarei o que sugere, ao invés de escrever a reclamação directamente na caixa de texto, irei tentar mandá-la via anexo, a ver no que dá... Ao menos já me "descansa" saber que tal não se deverá ao facto de ter mais de um pedido aberto em simultâneo para o mesmo produto/serviço.

Obrigado outra vez.
Reputação 7
Crachá +24
Espero que consiga! 😊
Crachá
Pois... Também eu esperava... Só que não... :-/

Até "desencantei" o Internet Explorer só para testar a ver se era "embirração" com o Firefox... Mas não. Parece não querer resultar de nenhuma maneira nem por nenhuma via... Bem não queria gastar a chamada para o 16200 (vai ficar mais cara do que o valor reclamado, lol :-/) mas parece que o myMEO não me quer deixar alternativa... :-/

E só para que fique de prova que não sou eu que estou a "ver coisas" (pois não?)... 🤐

Ou estou a fazer algo mal?... Confesso que não entendo...

Crachá
Isto tudo quando já estou a reclamar (ou a tentar) a factura de Agosto... E aparece sempre o texto da reclamação de Julho...

😕
Crachá
Já agora duas questões adicionais na sequência da situação, se posso:

1) Quão demorado costuma/pode ser o atendimento aos pedidos criados na Área de Cliente relativamente a questões de facturação? (Já me começa a parecer tempo demais o tempo que está a levar para retornarem um qualquer feedback que seja...) Ou há outra via preferencial para tais reclamações (sem ser o 16200, pois) que garanta maior celeridade ao solucionamento?...

2) Por exemplo, o pagamento de facturas fora do prazo implica indemnização por parte do cliente por "incumprimento contratual", certo? Certo. Muito bem. Ora então e o que é que faz definir "incumprimento contratual" por parte da operadora, no caso de facturação sucessiva de um valor que não era suposto ser cobrado de acordo com as condições em contrato? Ou seja, por exemplo, imagine-se a situação em que o contrato previa a oferta do aluguer da box durante o período de fidelização, e este valor era sucessivamente mensalmente cobrado ao cliente. Não é sequer o meu caso, o meu tem que ver com o telefone fixo, mas enfim, é só para servir de exemplo, talvez seja mais fácil para explicar. Após quantas facturas em que se verificásse esta cobrança indevida é que ficava definido que a operadora tinha incorrido em incumprimento contratual e era garantido ao cliente a possibilidade de cessação do contrato com justa causa/motivo legal e sem penalização por incumprimento do período de fidelização? (Porque, por exemplo, quando o cliente falha o pagamento de facturas sucessivas, após x não pagamentos, à operadora é garantida a possibilidade de cessação do contrato e respectiva indemnização pelo incumprimento por parte do cliente, certo? É assim que funciona "a coisa", certo? Mas funciona assim (ou é/seria suposto que assim seja/fosse) "nos dois sentidos", certo também? Ou está algo a escapar-me?...)

Obrigado mais uma vez.
Reputação 7
Crachá +24
Varia bastante, pessoalmente já me responderam no dia a seguir, e já demorou 8 dias úteis... Nesta altura em que está a terminar o período generalizado de férias, o trabalho deve estar um bocado acumulado e é provável demorar mais do que habitual.
A elaboração das condições contratuais e a prestação de serviços é feita somente pela Altice/MEO.

A supervisão é efectuada pelo regulador, o mesmo não intervém de forma directa em processos empresa <=> cliente.

O cliente tem a obrigação de tomar conhecimento das condições gerais e específicas dos serviços contratados.
Se não concordar não assume a posição contratual. Nos casos em que se comprometeu contratualmente mas considera estar a ser lesado, deve, em primeira instância, postular contra a entidade. Posteriormente pode recorrer aos centros de arbitragem de conflitos de consumo ou mesmo tribunais.
Crachá
Obrigado a ambos.

Absolutamente, Mike_. Não discuto o que esclarece. E a minha consciência disso é plena.

Mas imaginemos, mais uma vez como exemplo, o absurdo levado ao extremo, e que a mensalidade da box era cobrada em todos os 24 meses do período de fidelização, e isto sem que em momento algum as reclamações do cliente fossem tidas em conta ou surtissem qualquer efeito. (Sim, é absurdo, mas imaginemos.) Algum momento haveria de haver em que o cliente pudésse dizer "Basta!" e "endurecer" a sua argumentação por conta da recorrência da situação fazer pender para o prestador do serviço o incumprimento. Percebe o que quero dizer? Quer dizer, ok, ao fim de uma facturação indevida, muito bem, aceita-se que possa ter sido erro e reclama-se. Ao fim de duas, hmm, já se torce um pouco mais o nariz, e repete-se a reclamação. Mas um ponto há-de haver em que o cliente possa ser ele a "sacar dos galões" (de estar ele a ser sujeito ao incumprimento do contrato por parte do operador) e argumentar "Não. A situação não é conforme ao contrato, portanto...". Percebe?... Foi tão só neste sentido que eu coloquei a questão.

Um pouco no mesmo sentido do que se lê por exemplo neste esclarecimento da ANACOM:

https://anacom-consumidor.inbenta.com/?content_id=591#

"O que posso fazer se o meu operador de Internet não cumprir a velocidade que contratei? Se a diferença entre o desempenho real do serviço e desempenho indicado pelo operador no contrato for significativa (contínua ou recorrente) e comprovada por um sistema de controlo certificado pela ANACOM, tal será considerado como um desempenho não conforme com o contrato e permitirá desencadear o processo de tomada das medidas corretivas de que o consumidor dispõe nos termos do direito nacional, no que respeita ao incumprimento contratual."

Ou seja, e ainda expondo de outra maneira, a partir de que ponto é que se pode considerar que o operador "se excedeu no esticar da corda" dando-nos a nós, clientes, a legitimidade para "engrossar a voz"? Por exemplo, e voltando ao exemplo inverso, do incumprimento por parte do cliente, quando falha o pagamento de facturas. Quando uma factura não é paga dentro do prazo, o operador "faz a sua reclamação" cobrando uma indemnização por incumprimento pelo não pagamento. E quando se passa mais um mês (ou coisa que o valha) sobre esse não pagamento, porque a continuidade do não cumprimento por parte do cliente assim o legitima, o operador "puxa dos galões" e "engrossa a voz" avisando da suspensão do serviço e cessação automática do contrato caso o novo prazo de pagamento seja ultrapassado. Certo? Pronto. Invertendo então mais uma vez a perspectiva, agora novamente para o cliente continuamente lesado e o operador continuamente não cumpridor, a partir de que momento é que temos legitimidade também para "falar mais grosso"? Percebo que a pergunta até seja algo subjectiva, no fim de contas, se calhar até depende de cada um de nós, clientes, afinal paciência e transigência não abundam em igual dose em todos, cada um é como cada um, pois claro. Mas pronto, era só para ter uma ideia, eu... E por isso coloquei aquela pergunta.

-----

Mas enfim, retornando ainda à questão inicial que levou a este meu post, a dificuldade em registar pedidos na Área de Cliente, alguém que se tenha deparado com situação idêntica e faça ideia de como resolver?

Obrigado mais uma vez.

Responder