Como anular o aumento da fatura MEO - 1/11/2016

  • 30 Novembro 2016
  • 4 respostas
  • 1710 visualizações

Reputação 3
 Olá a todos!


 


Após um post que publiquei aqui e que irei deixar no final (aconselho todos a ler), aqui fica o meu primeiro conselho do que fazer para reverter o aumento feito pela MEO e que entrou em vigor a 1/11/2016 - Reclamar junto do Centro de arbitragem da zona de residência (http://www.arbitragemdeconsumo.org/ ).


 


Passo a copiar a carta resposta da MEO:


 


Exs. Senhores,


Em resposta ao processo acima referenciado, que mereceu a nossa melhor atenção, informamos que de acordo com o quadro legal em vigor no setor das comunicações eletrónicas, são admissíveis quaisquer alterações contratuais, desde que cumprido o requisito legal previsto no art. 48º, nº 16, da Lei nº 5/2004, de 10 de fevereiro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 15/2016, de 17 de junho, que impõe que sempre que a empresa proceda a quaisquer alterações das condições contratuais as comunique aos seus clientes, por escrito, com uma antecedência mínima de um mês;


A alteração de preços verificada, foi devidamente comunicada na fatura de Setembro/2016


As alterações, designadamente,  as alterações dos preços, são igualmente divulgadas no sítio na internet www.meo.pt para consulta por parte de todos os interessados.


Não obstante o exposto, excecionalmente, e tendo em vista a resolução da situação apresentada, em sede de mediação, efetuámos nota de crédito para as faturas subsequentes, no montante de €2,00 c/ Iva/ mês, que serão refletidas na faturação até final da fidelização e procedemos à emissão de nota de crédito, no valor de €2,00 para a fatura de NOV/16.


 


Assim recomendo a todos, seguirem reclamarem junto da ANACOM (quer online, quer no livro de reclamações da loja, mesmo que seja meramente estatisticas), conselho de administração, DECO. Caso não tomem iniciativa de mudar abusos, seremos sempre abusados! Colaborem!!Assinatura: Respeito


 


 


 


Vários são as organizações, e entidades que recomendo a reclamar. Se o fizermos com certeza um dia os procedimentos de atuação poderão alterar.


 


Criem uma reclamação escrita e entreguem nas seguintes entidades e organizações (mesmo que consigam resolver a vossa situação):


 


  • Reclamação por escrito numa loja MEO Oficial através de livro de reclamações que possuem ao conselho de administração (é assumido pela PT - MEO que entrarão em contato com os clientes num prazo máximo de 3 dias úteis).
  • Reclamação por escrito numa loja MEO Oficial através de livro de reclamações que possuem à ANACOM (http://www.anacom.pt/). Mesmo que conte apenas como estatistica e não resolvam, algo massivamente um dia irá alterar.
  • Centro de arbitragem da zona de residência (http://www.arbitragemdeconsumo.org/ ).
  • DECO (https://www.deco.proteste.pt/)
  • Se tiverem um amigo/colega/familiar advogado ou jurista, consultar os vossos direitos, já que é crónico o abuso que ao longo dos anos tem vindo a ser feita por parte das companhias de telecomunicações.
 


PS: Acrescento mais este video da SIC do programa Contas Poupança que consultou a DECO para poderem ver mais situações de rescisão de contrato a que os clientes têm direito: 


 


https://www.youtube.com/watch?v=37FEyHE3puk


 


Ficam os meus conselhos, abraço a todos


 


Assinatura: Respeito

4 respostas

Reputação 3
A parte "excecionalmente" é que é engraçada.


Excecionalmente, A TODOS os que se queixaram nos centros de arbitragem e não só...


Sabem que não têm uma ponta de razão mas mesmo assim não querem admitir.


Ah e muito bom post!!


 


Cumops
Reputação 3
Diogo, que outras formas em termos de queixas com resultados efetivos sugeres para além de Centros de Arbitragem? Estou a falar que dêem resultados como foi alguns casos que conheço, e que não aumentaram os preços!!


Internamente as reclamações não dão em nada, ou seja reclamar internamente superiormente ao conselho de administração, eles tem indicações para procederem de igual forma. A não se que seja um advogado/jurista e participes diretamente baseada na Lei e apresentando defesa imediata, ou caso contrário ANACOM é meramente estatística (não fazem nada...ou melhor até são eles que não alterando algumas regras, permitem de certa forma os abusos que as Empresas de Telecomunicações estão a fazer em Portugal). Assim advogados amigos e centros de arbitragem são na minha opinião as melhores formas de apresentar queixa. 


DiogoCDS escreveu:

A parte "excecionalmente" é que é engraçada.


Excecionalmente, A TODOS os que se queixaram nos centros de arbitragem e não só...


Sabem que não têm uma ponta de razão mas mesmo assim não querem admitir.


Ah e muito bom post!!


 


Cumops



 
Reputação 3
Boas,


Eu penso que a solução mais rápida e fácil será através de um centro de arbitragem.

Eu fiz a minha reclamação no CACCL no dia 8/11 e a 30/11 já tinha uma resposta do MEO exactamente como essa que "postaste".

Fui ver a área de clientes e já me tinham creditado os 2€ na fatura.

E tal como indicam vão creditar o valor do aumento até ao final da fidelização.

No entanto tal como sabes dizem que é apenas excecionalmente. Mas claro que se eles admitissem que erraram tinham a anacom e afins em cima deles.

Mas repito, penso que a solução mais efectiva será certamente os centros de arbitragem. São grátis (dependendo da zona), a reclamação pode ser feita online, perde-se no máximo 20 minutos com todo o processo e a resposta a meu ver é bastante rápida.


Cumps
Obigado Respeito,

 

Já efetuei reclamações online no Centro de Arbitragem do consumo, na DECO e na ANACOM e amanhã irei a uma loja da MEO formalizar a mesma nos livros das operadoras.

 

No meu caso o aumento foi de 80.25 para 85 Euros, ou seja quase 5 Euros! Anexo um ficheiro com a campanha do MEO à qual aderi na minha empresa em que referem um valor de mensalidade diferente apenas após o 24º Mês! Ou seja, má fé, publicidade enganosa! Tenho trocas de e-mails com a promotora da MEO e em nenhuma situação referiram um aumento desta magnitude ao fim de menos de 6 meses de contrato.

 

É simplesmente vergonhosa a forma como as operadoras de telecomunicações se comportam neste País!

 

Cumprimentos,

Responder