CARTA DE RECLAMAÇÃO referente a Inscrição em base de dados por dívida à MEO (burla)


Exmos. Srs.,

 

Venho por este meio apresentar a minha reclamação relativamente à contratação de serviços da empresa MEO, Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A.

Reportando aos factos:

Viajei para fora de Portugal a 04 de Julho de 2014 (vide Anexo pag.1), regressando apenas a 16/02/2015 (vide Anexo pag. 2), voltando a ausentar-me do país no final desse mês e apenas regressando no fim de 2016, no mês de Dezembro e ausentando-me novamente em Fevereiro de 2017, até á presente data (vide Anexo pag. 3), sou usuária do nº 969543176, que tenho mantido activo por questões práticas, pois é o nº que está ligado a entidades bancárias e instituições do estado em Portugal, assim, caso pretendam poderão verificar no histórico de comunicações as alturas em que o mesmo este activo, que por certo coincidirão com os dados fornecidos.

Qual não foi o meu espanto quando em Maio de 2016 me enviaram esta foto de uma carta da Meo (vide Anexo pag. 4), a qual refere que aderi a um serviço ligado a faturação e que tenho um montante avultado em dívida para com esta entidade.

Primeiramente, como podem conferir acima e pela digitalização do meu passaporte e passagens, não me encontrava em Portugal na altura da adesão ao pretenso contrato, pois segundo consta recebi uma chamada a 18 de Novembro de 2015 para o nº 966425744(?) (vide Anexo pag. 5). Estando fora nunca me iria compensar aderir a tal serviço pois as comunicações teriam de ser feitas em roaming, o que seria de todo pouco inteligente, uma vez que um cartão no país em que me encontro compensaria e compensa muito mais;

Segundo o meu número (969543176) não se encontrava activo á data, gostaria de entender assim quem é o proprietário do número para o qual foi efetuada a chamada (nº 966425744), pois até á data nunca o tinha visto, nem tido conhecimento do mesmo, pois, voltando a reiterar, apenas sou proprietária de um número, o já referido acima, que por acaso até se encontra há bastantes anos registado em meu nome, na vossa base de dados em loja e no portal (área de cliente).

 

Apesar do tardar de uma resposta da minha parte, visto que tenho estado bastante ocupada com outros afazeres, exijo uma resolução rápida da situação, recuso-me veementemente a realizar o pagamento de quaisquer faturas, uma vez que não fui eu a realizar o contrato, nem as comunicações associadas a este.

 

Informo que em última instância quando me deslocar a Portugal recorrerei às seguintes entidades: Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor; Autoridade Nacional de Comunicações; Direcção-Geral da Saúde e da Defesa do Consumidor da Comissão Europeia, uma vez que situações destas junto da vossa entidade têm-se tornado recorrentes, como se pode constatar através de uma breve pesquisa pela internet.

Seguirá também uma cópia desta carta para o livro de reclamações online.

 

Por último, após a análise de toda a situação e se justificar aconselhar-me-ei juridicamente.

 

PS. Não anexei o passaporte pois como se trata de um forúm público não me sinto á vontade para o fazer, mas caso me forneçam um e-mail, não hesitarei em fazê-lo.

 

Sem mais assunto de momento, subscrevo,

 



0 respostas

Seja o primeiro a responder!

Responder